12 de agosto de 2020, 17h33

🔴 COVID-19: o que se passa em Portugal e no mundo

Clube

As principais notícias oficiais, desportivas e generalistas sobre o coronavírus nos jornais e sites nacionais e internacionais.

[EM ATUALIZAÇÃO]

A pandemia COVID-19 parou e mudou o mundo desportivo, financeiro e político. Acompanhe aqui EM DIRETO as principais notícias oficiais, desportivas e generalistas do que se passa em Portugal e no mundo.

12 de agosto

Boletim DGS 12 de agosto

PORTUGAL: SIC Notícias [13h47] | Mais 278 novos casos de infeção e mais 180 recuperados. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta quarta-feira a existência de 1764 mortes e 53 223 casos de COVID-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1761 para 1764, mais 3 do que na terça-feira. Já o número de infetados aumentou de 52 945 para 53 223, mais 278 (um aumento de 0,5%).

Há mais duas pessoas internadas, totalizando 367, e nos cuidados intensivos estão mais 5, totalizando 40, e há mais 180 doentes recuperados (total de 38 940).

A região de Lisboa e Vale do Tejo tem mais 160 casos do que ontem, totalizando hoje 27 441."

11 de agosto

DGS Boletim 11 de agosto

PORTUGAL: Diário de Notícias [14h31] | "Mais 120 casos de COVID-19, o menor número da última semana." "Em Portugal, nas últimas 24 horas, morreram mais duas pessoas e foram confirmados mais 120 casos de COVID-19 (um crescimento de 0,2% em relação ao dia anterior). Segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) desta terça-feira (11 de agosto), no total, desde que a pandemia começou, registaram-se 52 945 infetados, 38 760 recuperados (mais 160) e 1761 vítimas mortais no país.

Há, neste momento, 12 424 doentes portugueses ativos a ser acompanhados pelas autoridades de saúde.

Este é o quarto dia consecutivo em que o número de casos diários fica abaixo dos 200. É também preciso recuar uma semana (até terça-feira, dia 4 de agosto) para encontrar um valor mais baixo; nesse dia tinham sido notificados 112 novos casos.

72 dos 120 infetados de hoje (60%) têm residência na região de Lisboa e Vale do Tejo. Os restantes casos estão distribuídos pelo Norte (mais 34), pelo Centro (seis), pelo Alentejo (três), pelo Algarve (três) e pelos Açores (dois). Só a Madeira não regista nenhuma alteração à sua situação epidemiológica (com os mesmos valores há dois dias).

Quantos aos dois óbitos registados nas últimas 24 horas, ambos localizam-se na região Norte. Trata-se de dois homens com mais de 80 anos.

A taxa de letalidade do país é hoje de 3,3%, subindo aos 15,8% no caso das pessoas com mais de 70 anos (as principais vítimas mortais)."

MUNDO: Lusa [13h06] | Vacina russa chama-se "Sputnik V" e foi já pedida por 20 países. "A vacina russa contra a COVID-19, cujo registo foi hoje anunciado pelo presidente, Vladimir Putin, chama-se 'Sputnik V', vai começar a ser fabricada em setembro e já foi encomendada por 20 países.

A produção industrial vai começar em setembro e, segundo o Kremlin, passa a estar disponível em janeiro de 2021.

'Mais de um milhão de doses' já foram pré-encomendadas por '20 países estrangeiros' disse Kirill Dmitriev, presidente do conselho de administração do Russian Direct Investment, o fundo soberano russo envolvido na investigação científica e no financiamento das pesquisas.

A vacina contra o SARS CoV-2 desenvolvida pelos cientistas russos chama-se 'Sputnik V' (o 'V' significa 'vacina') em referência ao satélite soviético, o primeiro aparelho espacial a ser lançado para a órbita do planeta Terra, disse hoje Vladimir Putin."

MUNDO: SIC Notícias [11h36] | "OMS discute com a Rússia nova vacina contra a COVID-19." "A Organização Mundial da Saúde (OMS) e as autoridades de saúde russas estão a discutir o processo para uma possível pré-qualificação da OMS para sua vacina contra a COVID-19 recém-aprovada, disse um porta-voz da OMS esta terça-feira.

O presidente Vladimir Putin disse que a Rússia se tornou o primeiro país do mundo a conceder aprovação regulamentar para uma vacina contra a COVID-19 depois de menos de dois meses de testes em humanos.

'Estamos em contacto próximo com as autoridades de saúde russas e as discussões estão em andamento em relação à possível pré-qualificação da vacina pela OMS, mas, novamente, a pré-qualificação de qualquer vacina inclui a revisão e avaliação rigorosa de todos os dados de segurança e eficácia exigidos', disse o porta-voz da OMS.

A primeira vacina para a COVID-19 registada no mundo, anunciada hoje pelo presidente russo, Vladimir Putin, vai entrar em circulação em 1 de janeiro de 2021, segundo o Ministério da Saúde da Rússia.

A data para a distribuição da vacina russa contra a COVID-19 foi indicada pela entidade oficial da Rússia que regista medicamentos e que pertence ao Ministério da Saúde, noticia a France-Presse, que cita as agências de notícias russas."

Vacina

MUNDO: TSF [10h31] | "Rússia regista primeira vacina contra COVID-19. Putin garante que a filha já foi vacinada." "'Esta manhã foi registada, pela primeira vez no mundo, uma vacina contra o novo coronavírus', disse Vladimir Putin durante uma reunião com membros do governo russo.

De acordo com o chefe de Estado, a vacina russa é 'eficaz' e superou todas as provas necessárias, assim como permite uma 'imunidade estável' face à COVID-19.

Putin acrescentou que uma das suas duas filhas já recebeu uma dose da vacina e está a sentir-se bem.

As autoridades russas já haviam anunciado que os profissionais de saúde, professores e outros grupos de risco serão os primeiros a serem inoculados.

A vacina vai entrar em circulação em 1 de janeiro de 2021, segundo o Ministério da Saúde da Rússia.

No entanto, muitos cientistas no país e no estrangeiro questionaram a decisão de registar a vacina antes de os cientistas completarem a chamada Fase 3 do estudo.

Essa fase por norma demora vários meses e envolve milhares de pessoas e é a única forma de se provar que a vacina experimental é segura e funciona.

A pandemia de SARS CoV-2 já provocou mais de 733 mil mortos e infetou mais de 20 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP."

MUNDO: TSF [8h40] | "Portugal e Suécia são os países onde a COVID-19 mais recua." "Portugal e a Suécia são os países europeus com maiores reduções nas taxas de novos casos de COVID-19. A conclusão é do Centro Europeu de Controlo e Prevenção de Doenças (ECDC) que comparou aquilo que acontecia a meio de julho (dia 20) com o início de agosto (dia 2), calculando a incidência de casos detetados nos últimos 14 dias por 100 mil habitantes.

Portugal continua acima da média europeia, mas desceu para o sétimo país com mais novos casos (28,4 casos por 100 mil habitantes), atrás do Luxemburgo (209,5), Roménia (79,4), mas também dos vizinhos espanhóis (60,2), Bulgária (45,7), Bélgica (44,4) e da Suécia (30,7).

Aliás, Portugal é um dos poucos países (apenas cinco) com menos novos casos de COVID-19 nas últimas semanas, em contraste com os 27 países com os números a subir.

O ECDC destaca mesmo Portugal e a Suécia como os únicos países com descidas a rondar os 30%, em contraste com a Espanha, Bélgica, Roménia, Luxemburgo, República Checa e Malta onde ocorre o contrário, ou seja, subidas de 30%, ou superiores."

10 de agosto

Boletim DGS 10 de agosto

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h26] | Mais 157 novos casos de infeção e mais 89 recuperados. "Portugal regista 1759 mortes (mais três que no domingo) e 52 825 casos (mais 157) confirmados de infeção por COVID-19, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O número de casos recuperados sobe para 38 600, mais 89 em relação ao último domingo.

As três mortes e 99 das novas infeções ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, que é, neste momento, o epicentro da pandemia em Portugal, com 27 209 casos confirmados.

O número de pessoas internadas é de 374, mais oito do que no domingo, e nos cuidados intensivos estão 29 pessoas, menos quatro do que no domingo."

9 de agosto

Boletim DGS

PORTUGAL: Lusa [14h49] | "Mais seis mortos e 131 novos casos em Portugal.""Portugal regista hoje mais seis mortos e 131 novos casos de infeção por COVID-19 em relação a sábado, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde. O número de pessoas internadas é de 366, mais nove do que no sábado, e nos cuidados intensivos continuam 33 pessoas. De acordo com o relatório da DGS sobre a situação epidemiológica, desde o início da pandemia até hoje registaram-se 52 668 casos de infeção confirmados e 1756 mortes, das quais quatro na região de Lisboa, uma no Norte e uma no Algarve nas últimas 24 horas."

8 de agosto

Boletim DGS 8 de agosto

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h20] | 186 novos casos de infeção e mais 277 recuperados. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou este sábado a existência de 1750 mortos e 52 537 casos de COVID-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de óbitos subiu de 1746 para 1750, mais 4 do que na sexta-feira (duas na região de Lisboa, uma no Centro e uma no Algarve nas últimas 24 horas).

Já o número de infetados aumentou de 52 351 para 52 537, mais 186.

O relatório mostra uma subida de 277 no número de recuperados, para um total de 38 364 (73,02% dos casos confirmados).

O número de pessoas internadas é de 357, mais uma do que na sexta-feira, e nos cuidados intensivos estão 33 pessoas, menos três em relação ao boletim diário anterior."

7 de agosto

Boletim DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h38] | Mais 290 novos casos de infeção e mais 247 recuperados. "Portugal regista 1746 mortes (mais três que na quinta-feira) e 52 351 casos (mais 290) confirmados de infeção por COVID-19, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

As três mortes e 208 (71,72%) das novas infeções ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, que é, neste momento, o epicentro da pandemia em Portugal, com mais de 26 mil casos confirmados.

O relatório desta sexta-feira, com dados atualizados até às 00h00 de quinta, mostra uma subida de 247 no número de recuperados, para um total de 38 087 (72,75% dos casos confirmados). Após 11 dias consecutivos em queda, o número de casos ativos volta a subir, para 12 518 (mais 40).

A taxa de letalidade mantém-se em 3,3% (15,7% acima dos 70 anos).

Lisboa e Vale do Tejo é a região mais afetada, em termos cumulativos, pela pandemia, com 26 928 casos (o que representa 51,44% das infeções). Seguem-se Norte (18.952), Centro (4.508), Algarve (911), Alentejo (761), Açores (170) e Madeira (121)."

6 de agosto

Boletim DGS 6 de agosto

PORTUGAL: SIC Notícias [14h19] | Mais 213 novos casos de infeção e mais 275 recuperados. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta quinta-feira a existência de 1743 mortes e 52 061 casos de COVID-19 em Portugal, desde o início da pandemia.

O número de óbitos subiu de 1740 para 1743, mais 3 do que na quarta-feira. Já o número de infetados aumentou de 51 848 para 52 061, mais 213.

Há 369 doentes internados, 42 encontram-se em Unidades de Cuidados Intensivos.

O número de casos recuperados subiu de 37 565 para 37 840, mais 275."

5 de agosto

Boletim DGS 5 de agosto

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h30] | Mais 167 novos casos de infeção e mais 247 recuperados. "Portugal regista 1740 mortes (mais uma que na terça-feira) e 51 848 casos (mais 167, um aumento de 0,3%) confirmados de infeção por COVID-19, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS). A única morte e 116 (69,46%) das novas mortes ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, que é, neste momento, o epicentro da pandemia em Portugal, com mais de 26 mil casos confirmados.

O relatório desta quarta-feira, com dados atualizados até às 00h00 de terça, mostra uma subida de 247 no número de recuperados, para um total de 37 565 (72,45% dos casos confirmados). O número de casos ativos desce para 12 543 (menos 81).

A taxa de letalidade mantém-se nos 3,4% (15,9% acima dos 70 anos).

Desde o dia 1 de janeiro, registaram-se 450 524 casos suspeitos. O relatório revela, ainda, que 1437 casos ainda aguardam os resultados dos testes laboratoriais e mais de 37 mil pessoas estão sob vigilância das autoridades sanitárias.

Lisboa e Vale do Tejo é a região mais afetada, em termos cumulativos, pela pandemia, com 26 573 casos (o que representa 51,25% das infeções). Seguem-se Norte (18 854), Centro (4478), Algarve (902), Alentejo (753), Açores (170) e Madeira (118)."

4 de agosto

Boletim DGS 4 de Agosto

PORTUGAL: TVI24 [13h33] | Mais 112 novos casos de infeção e mais 207 recuperados. "Portugal regista mais uma morte e 112 novos casos de COVID-19, segundo o boletim divulgado esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS). O total de óbitos é, agora, de 1739, enquanto o número de casos confirmados subiu para 51 681. O balanço anterior, de segunda-feira, não indicava qualquer vítima mortal.

Foram registados mais 207 casos de recuperação, elevando o total para 37 318. Existem 12 624 casos ativos do novo coronavírus em Portugal.

O número de doentes internados voltou a subir, passando novamente a barreira dos 400. Com mais 11 doentes hospitalizados nas últimas 24 horas, são agora 401 as pessoas que necessitam de cuidados hospitalares. Destas, 44 estão em unidades de cuidados intensivos, mais duas que no balanço anterior."

3 de agosto

Boletim DGS 3 de Agosto

PORTUGAL: Rádio Renascença [13h21] | "Primeiro dia sem novas mortes desde março." "Portugal não regista quaisquer novas mortes por COVID-19, esta segunda-feira. É a primeira vez que isto acontece desde 17 de março. Ao todo, o registo é de 1738 mortes (as mesmas que no domingo) e 51 569 casos (mais 106, o que supõe um aumento de 0,2%) confirmados de infeção, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Dos novos diagnósticos, 66 (62,26%) ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, que é, neste momento, o epicentro da pandemia em Portugal, com mais de 26 mil casos confirmados.

O relatório desta segunda-feira, com dados atualizados até às 00h00 de domingo, mostra uma subida de 127 no número de recuperados, para um total de 37 111 (71,96% dos casos confirmados). O número de casos ativos desce para 12 720 (menos 21). A taxa de letalidade mantém-se nos 3,4% (15,9% acima dos 70 anos)."

2 de agosto

Boletim DGS

PORTUGAL: TVI24 [12h58] | Mais 153 novos casos de infeção. "Portugal regista hoje mais um morto e 153 novos casos de infeção por COVID-19 em relação a sábado, segundo o boletim diário da Direção-Geral de Saúde (DGS).

De acordo com o relatório da situação epidemiológica da DGS, desde o início da pandemia até hoje registaram-se 51 463 casos de infeção confirmados e 1738 mortes.

A região de Lisboa e Vale do Tejo, onde continua a haver mais surtos ativos de COVID-19, totaliza hoje 25 323 casos, mais 92 do que na véspera."

1 de agosto

Boletim DGS 1 de agosto

PORTUGAL: Rádio Renascença [13h55] | É o sexto dia consecutivo em que o número de casos ativos baixa. "O balanço diário da Direção-Geral da Saúde revela que Portugal regista 1737 óbitos por COVID-19 (mais duas mortes em 24 horas) e 51 310 casos de infeção (mais 238).

Uma das mortes aconteceu em Lisboa e a outra no Alentejo. Ambas as vítimas têm mais de 80 anos.

Até agora, 36 783 pessoas recuperaram da doença (mais 300 nas últimas 24 horas).

Estão internadas 375 pacientes (mais seis do que ontem), dos quais 40 estão nos cuidados intensivos (menos um).

De acordo com o relatório da situação epidemiológica, 164 dos novos casos de infeção são na Grande Lisboa, o que corresponde a 69%.

É o sexto dia consecutivo em que o número de casos ativos baixa (menos 64)."

Ver todas as notícias de julho aqui.

Ver todas as notícias de junho aqui.

Ver todas as notícias de maio aqui.

Ver todas as notícias de abril aqui.

Ver todas as notícias de março aqui.

Texto: Márcia Dores, Filipa Fernandes Garcia, Diogo Nascimento, Sónia Antunes e Marco Rebelo

Fotos: Tuttosport / Corriere dello Sport / The Guardian / Le Figaro / Mundo Deportivo / L'Équipe / AS / La Repubblica / El País / Portugal.gov.pt / UEFA / Twitter Roland Garros / Il Messaggero / Corriere della Sera / Liga Portugal / ACP / COI / Reuters / New York Times / The Telegraph / FIFA / De Telegraaf / Público / Expresso

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar